CORONAVÍRUS: COMUNICADO AOS TAXISTAS

0

A Vigilância Epidemiológica de Arceburgo orienta os taxistas do município e seus usuários sobre as recomendações e determinações no combate ao Coronavírus.

𝟎𝟏 – Uso de máscara é recomendável;

𝟬𝟮 – Os taxistas devem fazer a higienização das mãos com água e sabão e ou álcool gel/ álcool a 70% ao final de cada viagem e sempre depois que manusear dinheiro;

𝟎𝟑 – Todos os veículos deverão ser higienizados após cada viagem, sobretudo nos locais de maior contato dos usuários (maçaneta da porta, bancos, apoios);

𝟎𝟒 – Higienizar volante, manopla do câmbio, freio de estacionamento e demais pontos de contato dos taxistas, pelo menos três vezes ao dia, com água e sabão e álcool a 70%;

𝟎𝟓 – Os veículos deverão operar sem o uso do ar-condicionado e com vidros totalmente abertos;

𝟎𝟔 – Taxistas idosos ou em grupo de risco, poderão incluir motorista auxiliar em caráter emergencial;

𝟎𝟕 – Manter-se sempre hidratado;

𝟎𝟖 – Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar (com cotovelo flexionado ou utilizando-se de um lenço descartável para higiene nasal), e em seguida lavar as mãos e usar o álcool gel a 70% ou o álcool a 70%, sempre que possível;

𝟎𝟗 – Não tocar em mucosas de olho, nariz e boca;

𝟏𝟎 – O usuário e ou o taxista poderá recusar a prestação de serviço quando um ou outro mantiverem comportamento inadequado ou conduta que implique em risco a saúde alheia;

A Prefeitura Municipal de Arceburgo orienta a população arceburguense a utilizarem tão somente os serviços públicos e regulamentados dos taxistas.

Àqueles eventuais prestadores de serviço que não se enquadram na lista abaixo prestam serviços irregularmente atentando contra a segurança de todos, uma vez que não possuem licença da Prefeitura, que exige antecedentes criminais, veículos na categoria aluguel, laudo mecânico, laudo de vistoria do Detran, pagamentos de taxas municipais e estão permanentemente sendo fiscalizados pelo município e passiveis de denúncias pela má prestação dos serviços pelos usuários.

Eventuais prestadores de serviços que não se enquadram na lista abaixo são considerados clandestinos e atentam contra a ordem pública. Além do mais, os clandestinos geram um desequilíbrio, com a concorrência desleal com o serviço regulamentado.

A Prefeitura não se responsabilizará em casos de acidentes e ou sinistros diversos com usuários de serviços que se utilizarem de eventuais “taxistas clandestinos”. A Prefeitura esclarece ainda que inexiste o serviço de Uber no município, e que, portanto, caso esta prestação de serviço esteja sendo ofertada, tal natureza é crime.

Qualquer cidadão pode denunciar a prestação de serviço clandestino. O sigilo é garantido. Neste caso procure o Departamento Municipal de Tributos.

PERMISSIONÁRIOS TAXISTAS DO MUNICÍPIO:

Adnan Fernando Rodrigues

Antônio Carlos Machado

Antônio de Moura Silva

Geraldo Donizete Cauzine

Jarbas de Almeida Vieira

João Donizete Furlan

José Adalberto dos Santos

José Carlos Turola

Júlio Cesar Silva de Moraes

Laércio Vieira de Carvalho Filho

Moisés de Alvares Fernandes Botura

Pedro Nadaletti

Roberto Cagnoni de Araujo

Rodrigo Donizeti de Moraes (Hotelino Candido de Moraes)

Sergio Pierini Lozano

Sidney Bento da Silva

Vagner Marques Cochoni

Vilson Aparecido Belchiol de Souza (Carlos Roberto de Mello)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here